Basttardos lança clipe para a música “Despertar Do Parto”

  • Comentários


A banda carioca Basttardos lançou hoje (13/07), Dia Mundial do Rock o clipe para a música “Despertar Do Parto“, faixa que está presente no EP “O Último Expresso“, lançado em dezembro do ano passado.

Sentíamos falta de fazer um clipe mais ‘sóbrio’, mostrando uma outra faceta audiovisual do Basttardos e também pela primeira vez investir em uma balada muito especial e singular pra mim, produzir o clipe foi ralação pura, viajamos para o interior do Rio de Janeiro (Cachoeiras de Macacu), e foi tudo filmado num fim de semana e ficou em processo de produção, edição e finalização por quase um mês e meio“, comentou Alex Campos, vocalista da banda.

Clipe conta com direção e edição de Marcelo Velloso, roteiro de Alex Campos e imagens por Marcelo Velloso e Bernardo Martins.

Tracklist:

01. Basttardos
02. Licor de Cereja
03. Despertar do Parto
04. Exilados
05. Terceiro Elemento

Curta a página da banda no Facebook.

 

  • Comentários

Clemente Nascimento lança seu primeiro trabalho solo em streaming

  • Comentários


Figura ilustre da cena punk rock brasileira, Clemente Nascimento, em 1978, já era baixista do Restos de Nada, considerado o primeiro grupo punk paulista. Em 1979, passou pela a banda N.A.I., que depois virou Condutores de Cadáver, e em 1981 fundou o Inocentes, banda que o consagrou no cenário nacional. Atualmente, além do Inocentes, Clemente está à frente da Plebe Rude e tem se dedicado ao primeiro projeto solo intitulado “Clemente e A Fantástica Banda Sem Nome“.

Os músicos que acompanham Clemente na fantástica banda também são veteranos nos palcos: Joe Gomes (ex-Pitty) no baixo, Johnny Monster (Daniel Belleza e Corações em Fúria) na guitarra, e Rodrigo Cerqueira (ex-Skuba/Firebug) na bateria. O grupo passou 2015 ensaiando, descobrindo canções que Clemente havia guardado por anos, e juntos criaram novas sonoridades, sem nenhum compromisso com definições estéticas.

Nesta quarta-feira (13), a banda divulgou o streaming do primeiro disco, “Antes que Seja Tarde“, com lançamento previsto para agosto pela Hearts Bleed Blue (HBB).

Para Clemente, lançar “Antes que Seja Tarde“, é poder mostrar canções que também fazem parte do seu universo, e que ampliam os horizontes da sua música, sem perder a verve das raízes punk e ao mesmo tempo, poder completar uma lacuna que não é preenchida nem pelo Inocentes e nem pela Plebe Rude. “Neste projeto eu tenho a liberdade de experimentar sonoridades diferentes do que as do Inocentes e da Plebe. Tem músicas nesse projeto que foram escritas a 30, 25, 20 anos atrás, mas não tinham a cara das outras bandas, e quando nos reunimos acabei compondo algumas músicas com a banda e outras sozinho, já inspirado pelo clima desse disco, que é mais lírico e lúdico, sem perder o frescor alternativo“, explica.

Antes que Seja Tarde“, foi gravado em 2016 no estúdio Espaço Som com produção de Wagner Bernardes.

  • Comentários

Banda Elízia lança seu segundo EP “Efêmero”

  • Comentários

A banda mineira Elízia lançou seu segundo EP chamado “Efêmero“, explorando com toda a potência seu vocal feminino e as influências do rock alternativo.

O EP “Efêmero” mostra uma banda com personalidade e um som amadurecido pela estrada. Produzido por Mateus Mendes (MM´s records) e Rodrigo Nueva, o lançamento reflete o imediatismo e a liquidez dos dias de hoje.

Formada em 2014, a Elízia hoje conta com Ana Sarmento (vocal), Rodrigo Nueva (guitarra), Gustavo Silva (baixo) e André Figueiredo (bateria) e bebe da influência de bandas como Muse, PVRIS, Paramore, Circa Survive e da própria cena mineira. A Elízia faz parte de um coletivo de bandas chamada Murro, que visa o fomento da cena independente da grande BH, a circulação das bandas e presença efetiva nos palcos da região.

Enquanto trabalha na produção do clipe da faixa “O Contorno”, a banda se prepara para uma tour que vai passar por várias cidades de Minas, Rio e São Paulo.

Curta a página da banda no Facebook. 

  • Comentários

Banda Apple Sin lança novo clipe

  • Comentários

A banda mineira de heavy metal Apple Sin lançou clipe para a música que leva o mesmo nome da banda e que você confere logo acima aqui no Rock de Verdade.

O clipe foi filmado pela Alpha 7 Photo Design, empresa ministrada por Philippe Belchior em Dores de Campos (MG).

A música “Apple Sin“, que dá título à banda, traz um refrão marcante com a letra criada pelo vocalista, guitarras harmonizadas e cozinha bem entrosada. O lançamento do CD está previso para o segundo semestre, via Black Legion Productions, de Resende-RJ.

Apple Sin é atualmente formada por Patrick Belchior (Vocal), Beto Carlos (Guitarra), Tainan Vilela (Guitarra), Raul Lourenço (Baixo) e Eduardo (Bateria).

Curta a página da banda no Facebook.

  • Comentários

Gus Nascimento lança clipe para “You’ll Remember”

  • Comentários

O vocalista Gus Nascimento lançou clipe para a música “You’ll Remember”. Este é um projeto internacional do músico gravado nos Estados Unidos, na cidade de Tulsa, em Oklahoma, no estúdio Black Box.

No começo do ano fui convidado para ser um dos embaixadores da música na cidade de Tulsa ao lado de outros músicos no instituto Jim Halsey e lá mesmo fui convidado também para gravar esse projeto com a produção de Fernando Quesada”, disse o vocalista Gus Nascimento. “São versões acústicas de músicas do meu album em inglês, além de uma música inédita que é o videoclipe abaixo da música You’ll Remember”, finalizou.

O videoclipe foi gravado e editado pela Foggy Filmes na cidade de Tulsa, nos Estados Unidos. Ouça todas essas músicas clicando aqui. 

Curta a página do músico no Facebook.

 

  • Comentários

Entrevista exclusiva com a banda Médicos de Cuba

  • Comentários

Conversamos um pouco com a galera do Médicos de Cuba, não, não.. Não os médicos que vieram de Cuba e sim com a banda, que falou um pouco sobre a grupo, novo disco e o futuro, confira:

Conte me um pouco como surgiu a banda?

Eu (Hasselmann, o baterista) e o Wind (guitarrista) eramos amigos no colégio, e a gente montou uma banda com o Canário (ex-baixista) e um outro amigo pra tocar no intervalo, só de zoeira, sem ter nada em mente. Aí no ano seguinte, fomos num evento que rolava na cidade antigamente, em que a ex-banda do Wagner (vocalista) tocou, e chamamos ele pra se juntar a nós e participarmos de um concurso de música na cidade, que no final das contas acabou nem acontecendo, mas as composições surgiram naturalmente logo no primeiro ensaio, e ai demos inicio aos trabalhos.

Por que Médicos de Cuba? Conte alguma situação hilaria envolvendo o nome da banda?

A banda precisava de um nome pra se inscrever no concurso que ia acontecer. Aproveitando a repercussão dos Médicos que vieram de Cuba na época, surgiu a idéia de chamar a banda desta forma para atrair visualizações de quem pesquisasse a respeito. Mas é um nome que acabou casando com a proposta da banda, meio debochado. Todo mundo que ouve o nome da banda acha sensacional, e o engraçado é que vive aparecendo algumas mensagens de pessoas doentes na página, uma vez mandaram até foto de um dedo costurado todo preto, perguntando se era normal, achando que se tratava de uma associação de médicos de verdade ou algo assim.

Recentemente vocês lançaram um novo disco, fale um pouco sobre o processo de criação desse disco?

Sim, lançamos um novo disco chamado Médicos de Cuba. Começamos com duas músicas compostas faz tempo e fomos emendando. Não tem uma fórmula pré definida, às vezes Wind surge com o riff e a letra é feita na hora, às vezes a letra vem antes anotada e vemos se encaixa em algum riff ou não. Pegamos criações soltas na nossa mente e transpomos para que entrem em harmonia.

O processo de gravação foi bem divertido, tivemos uma liberdade enorme na hora de gravar tudo, porque alugamos um teatro por um fim de semana, testamos microfonações e etc… sem aquela pressão de pagar horas em estúdios.

Quais são as influencias da banda?

Eu (o vocalista Wagner) Gosto muito de Nirvana e Black Sabbath. O Hasselmann tem, infelizmente, influência musical do Lars Ulrich (Metallica) mas felizmente a influência empresarial do mesmo. O Wind escuta bastante deathcore, como Whitechapel, Gojira, e alguns raps como Run the Jewels ou Mac Miller, mas acho que a influência além desses vêm também dos clássicos, Pantera, Wolfmother, Black Label Society, etc, já o Saulo curte bastante Led Zeppelin, As blood runs black, black dhalia murder, the reign of kindo e panic at the disco.

As influências visuais para os clipes tendem a ser únicas também. Não queremos contar a história das músicas nos clipes, sempre criamos uma história diferente, tipo uma outra perspectiva do que está acontecendo.

Algum show/evento que marcou pra vocês? Que fica na lembrança?

Houveram três muito especiais, um em Araucária (na Festa do Caroço, um evento de bandas independentes da cidade), e em Florianópolis com o Supercombo. Não imaginávamos que seriamos tão bem recebidos pelas platéias.

Qual a diferença do primeiro disco “Recém Casados”, para o segundo disco “Médicos de Cuba”?

O Recém Casados foi feito de qualquer jeito. O computador usado pra mixar as trilhas era horrível, a dedicação não era tanta porque não pensávamos que ia ter tanta repercussão. Para o Médicos de Cuba, queríamos elevar nosso nível em todos os quesitos. Mas ainda usamos a fórmula divertida e questionável do Recém Casados (falar de drogas, assassinatos, coisas sem sentido, etc.)

Geralmente as letras das músicas são por protestos e atual situação do país, como vocês vêm o cenário atual politico e social do país?

Nem sempre, tentamos englobar mais as coisas internas. Ao invés de pensar no lado político, pensamos mais no pessoal. Por exemplo, o que uma pessoa sente quando está protestando ao invés do motivo pra protestar, manja? Cada música é a cabeça de alguém. Cada música é como se fosse uma cabeça pensante, e ela tem um ponto de vista sobre determinadas coisas que acontecem dentro da sociedade, ou no seu subconsciente, são como “personagens”.

Nesse novo disco, tem alguma faixa preferida pra vocês?

Temos bastante apreço pelo CD todo na verdade, mas se fosse pra escolher duas, escolheríamos “Panetone” e “Não Deixe Acabar a Gasolina”. Elas são diferentes e engraçadas, mas de um jeito desconfortável. E tem uma moral por trás. Elas fazem você pensar no por que os personagens fizeram aquelas coisas.

Quais são os planos da banda pra futuro?

Tocar, tocar, tocar e tocar! Pretendemos viajar pra lugares que a gente ainda não foi. Rio de Janeiro e Brasília são nossas metas, queremos mostrar nosso CD novo por lá.

Queremos fazer mais um clipe ambicioso. Desta vez teremos todos os integrantes no mesmo lugar fazendo coisas juntos, mas cada um ainda terá seu destaque. Queremos contar uma história grande e dinâmica.

Algum recado para os fãs?

Vem sendo incrível até agora, graças a vocês. Só temos à agradecer a toda a galera que nos acompanha e torce por nós. Acho que no mais é isso hahaha

Agradecemos a disponibilidade da banda em conversar com a gente e desejamos muito sucesso a banda.

Viva O Rock!

  • Comentários